domingo, 21 de agosto de 2016

A imensidão em um olhar.

Da autoria de Lerissa Kunzler

     Um olhar parado, perdido.
     Olhos que se fixam no horizonte e que lá se perdem, em meio à bruma de um mar esquecido. Olhos que se prendem aos pássaros que se vão para nunca mais voltar e que se enchem com a saudade já tão palpável quanto as flores silvestres do campo.
     Olhos que carregam a dor dos que sofrem, dor que se esvai em lágrimas salgadas.
     Olhos indiscutivelmente sinceros, mas tremendamente difíceis de se compreender.
     Um olhar perdido, tão perdido quanto os sonhos esquecidos, pelos quais ninguém mais suspira.
     Olhos viajantes que, ao se fixarem em lugar nenhum, se ausentam para passear em meio às nuvens, mergulhando em realidades jamais vistas.
     Um olhar fixo. Que pensa, que sonha, que chora e que sofre, mas que também sorri. Um olhar que, por ser tão calado, enxerga muito além do que os outros podem ver.

sábado, 28 de maio de 2016

Resenha do livro: A Pequena Bruxa,
de Otfried Preussler


Título: A Pequena Bruxa
Título original: Die Kleine Hexe

Autor: Otfried Preussler
Editora: Martins Fontes
Edição: 1ª ed
Ano: 1997
Nº de páginas: 141

Sinopse: Era uma vez uma bruxinha que tinha 127 anos, o que não é muito para uma bruxa. Ela morava numa casinha solitária bem no meio da floresta.A bruxinha tinha um corvo que sabia falar. Era o corvo Abraxas. Além de grasnar "bom dia " e "boa noite", como qualquer corvo normal que aprendeu a falar, ele sabia dizer tudo o mais. Cerca de seis horas por dia a bruxinha passava treinando bruxarias. Fazer bruxaria não é fácil.
Avaliação do blog NMW:

domingo, 15 de maio de 2016

Poema: "Alma minha gentil, que te partiste",
de Luís Vaz de Camões


Olá pessoal, como estão?
Espero que estejam todos bem.

     Como faz um bom tempo que não temos poesias aqui pelo NMW, resolvi trazer hoje um poema belíssimo do poeta português Luís Vaz de Camões. 
     O poema em questão é um soneto (poema composto de dois quartetos e dois tercetos) e é bem triste, pois seu interlocutor (aquele a quem o poema se destina) é a alma da amada que já partiu desta vida e que agora se encontra no céu. 
     O eu lírico do poema, mergulhado na tristeza de ter ficado para trás, se dirige a ela com seus versos, formando, assim, uma poesia triste, mas ao mesmo tempo belíssima.
     Confira.

domingo, 8 de maio de 2016

Fotografando - Tema: ENTARDECER #1


    O entardecer... Um dos momentos mais mágicos do dia. Aquele instante em que os olhos se perdem o horizonte, a alma se enche de esperança e os sonhos parecem mais possíveis. O instante mágico em que o dia vai lentamente se despedindo e acolhendo a noite que chega em seu lugar.
     Hoje é o entardecer o tema dessa seleção de fotografias. Todas foram selecionadas do meu acervo de fotos, que, por sinal, está enorme. Como é justamente esse o momento que coincide com meus instantes de descanso, enquanto estou indo para a faculdade, é também o momento em que estou ouvindo músicas e pensando na vida ou escrevendo com minhas novas ideias. Então, consequente, é também o momento em que estou olhando para o horizonte, para o céu... E é o que acaba resultando nessas fotografias...
     Selecionei 6 das fotografias que tenho e aproveitei também para tirar trechos das músicas que gosto de ouvir nesses momentos. Confira!

sábado, 30 de abril de 2016

Resenha do livro: Como eu era antes de você,
de Jojo Moyes

Título: Como eu era antes de você
Autora: Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Edição: 1d
Ano: 2013
Nº de páginas: 320

Sinopse: Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Sua vidinha ainda inclui o trabalho como garçonete num café de sua pequena cidade - um emprego que não paga muito, mas ajuda com as despesas - e o namoro com Patrick, um triatleta que não parece muito interessado nela. Não que ela se importe.Quando o café fecha as portas, Lou é obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor tem 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de ter sido atropelado por uma moto, o antes ativo e esportivo Will agora desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. Sua vida parece sem sentido e dolorosa demais para ser levada adiante. Obstinado, ele planeja com cuidado uma forma de acabar com esse sofrimento. Só não esperava que Lou aparecesse e se empenhasse tanto para convencê-lo do contrário.Uma comovente história sobre amor e família, Como eu era antes de você mostra, acima de tudo, a coragem e o esforço necessários para retomar a vida quando tudo parece acabado.



Avaliação do NMW: 
    

sábado, 23 de abril de 2016

"A Menina que Odiava Livros"
uma animação cheia de sentidos
Especial do Dia Mundial do Livro (23 de abril)

     Era uma vez uma menina que odiava livros... Que os odiava até que os conheceu.
     São muitos ainda os que não gostam de ler ou simplesmente não compreendem a dimensão dessa maravilhosa aventura. E, sendo hoje uma data muito especial para os leitores, o blog No Matter What traz um vídeo muuito legal que ilustra um pouco de toda essa mágica incomparável que é a leitura.
     Você já sonhou em ser um detetive e desvendar um mistério louco? Ou em viajar para todos os cantos do mundo? Ou em ter muitos amigos, ou nenhum? Ou em ir para a guerra e lutar como um soldado nas linhas de frente? Ou então em voar? Ah, mas com certeza você já sonhou em fazer magia... Em fazer uma descoberta fantástica! Em ser famoso. Ou em conhecer um mundo fantástico e cheinho de segredos a serem descobertos. Confesse... Você já quis viver uma aventura, um romance, uma história de terror, um drama, ou um suspense!

sábado, 16 de abril de 2016

Solidão em meio à tempestade

     Era um dia frio e a neve cobria os campos outrora verdejantes.
     Uma jovem andava como quem parecia perdida e seu olhar contemplava o horizonte sem cor. Suas botas deixavam pegadas na neve e pequenos flocos caíam lentamente, descansando sobre seu casaco preto. De longe, era apenas um ponto escuro na imensa brancura. De perto, era de uma beleza fascinante, mas que emanava uma tristeza que quase podia ser uma presença sólida e viva, de tão espessa que era. Seus braços estavam cruzados e ela abraçava a si mesma, talvez pelo frio, talvez apenas num gesto vão de tentar consolar a si mesma.
     Nada se ouvia. Nenhum pássaro cantava, nenhum galho se movia.
     Apenas a imensidão branca e os flocos caindo. E aquela jovem perdida, buscando algo que não poderia ser encontrado. O que se passava por sua mente? O que afligia seu coração? O que a encorajava a sair em meio ao frio enquanto que passar o dia em torno de um fogueira, tomando algo quente poderia ser muito melhor?
     A resposta era um labirinto.

sábado, 9 de abril de 2016

Lista de leituras (e futuras resenhas)
do blog NMW em 2016

     Já que o NMW está de volta à ativa, nada melhor do que montar algumas programações.
     Pessoalmente, percebi que (infelizmente) venho lendo muito menos ultimamente, não por falta de vontade, mas sim porque a vida anda em estilo fórmula 1 (pense numa pessoa que está envolvida 2 estágios, a monografia (TCC), 15 turmas de inglês, catequese, pesquisa científica, 8 matérias de faculdade e... enfim, já chega por aí) e todas as leituras que venho realizando ultimamente estão relacionadas à monografia (que vai me dar trabalho, mas vai ser maravilhosa <3).
     Por isso tudo, decidi já no início do ano que não faria nenhum desafio literário, como nos anos anteriores, mas decidi fazer isso sim, apenas de uma forma diferente. Me desafiei então a ler todos os livros da minha estante que comprei nos anos anteriores e ainda não li. De acordo com isso, montei essa lista de leituras, que serão as leituras que farei neste ano de 2016 e que também comentarei sobre elas aqui no NMW.
     Já adianto que não haverá uma resenha por semana, possivelmente será uma resenha a cada mês, mas vá lá... O NMW continuará com suas postagens variadas e sendo atualizado semanalmente, na medida do possível. E, sem mais, vamos lá...

domingo, 3 de abril de 2016

Série + Quotes: GRIMM 1ª temporada

E se os contos de fadas não fossem simplesmente contos de fadas?
E se por trás deles e de suas histórias, houvesse muito mais, que nem fôssemos capazes de imaginar?
E se a vida real escondesse coisas que só certas pessoas fossem capazes de ver?

Esses simples questionamentos estão enlaçados de forma surpreendente em uma intricada e fabulosa série que hoje venho apresentar a vocês... GRIMM.
Grimm é uma série americana que estreou em outubro de 2011. Como o próprio nome já sugere, é uma série baseada e inspirada nos contos dos Irmãos Grimm. Quem nunca ouviu falar, por exemplo, da Chapeuzinho Vermelho, dos Três Porquinhos? Pois é. Mas o mais incrível da série é que ela retrata os contos de uma maneira diferenciada e muuito interessante. Vale a pena ver a série só para ver isso, imagina então com todo o resto junto. Sim, sim, venha conhecer, você precisa conhecer.

Sinopse: Lembra dos contos de fadas que seus pais contavam quando você era criança? Aqueles contos não eram meras alegorias, eram avisos. Nick Burkhardt (David Giuntoli) achou que estava preparado para a realidade de trabalhar como detetive policial até ele começar a ver coisas inexplicáveis. Tudo fica ainda mais complicado quando ele descobre ser um dos últimos descendentes de um grupo de caçadores sobrenaturais chamados “Grimms”.

quinta-feira, 17 de março de 2016

Trecho de A Pequena Bruxa, de Otfried Preussler

Flores de papel
Um dia a pequena bruxa teve vontade de ir à cidade para dar uma olhada na feira. [...] Na feira, as donas-de-casa, criadas, camponesas e cozinheiras já disputavam as barracas. Estridentes, as jardineiras ofereciam suas ervas, os fruteiros gritavam em uníssono: - Comprem maçãs e peras!
[...] Lá atrás, no canto mais longínquo da feira, havia uma moça triste e pálida com uma cesta cheia de flores de papel. Sem prestar atenção, as pessoas passavam por aquela criatura tímida, sem comprar nada dela.
- Que tal se você se ocupasse um pouco dela? - sugeriu Abraxas - Estou com pena da pobrezinha.
A Pequena Bruxa abriu caminho através da multidão e foi perguntar à moça:
- Não está conseguindo vender as flores?
- Ah - disse a moça -, quem é que vai comprar flores de papel no verão? Minha mãe vai chorar de novo. Se até de noite eu não levar dinheiro, ela não vai nem poder comprar pão. Tenho sete irmãos. Meu pai morreu no inverno passado. Agora estamos fazendo estas flores de papel. Mas ninguém gosta delas.
Ao ouvir a moça, a bruxinha teve muita pena. Por um momento ficou pensando numa maneira de ajudá-la. Então teve uma ideia.
- Não posso entender por que as pessoas não compram as flores - ela disse. - Pois elas tem até cheiro!
Incrédula, a moça arregalou os olhos.
- Cheiro? Como é que as flores de papel podem ter cheiro?
- Mas essas têm - afirmou a bruxinha, muito séria. - É um cheiro mais gostoso do que flores de verdade. Não está sentindo?
As flores de papel cheiravam mesmo! Não era só a vendedora que estava sentindo!
Em toda a feira as pessoas começavam a sentir o cheiro delicioso.
- De onde vem esse aroma? - elas se perguntavam. - Não é possível! Flores de papel? Elas estão à venda? Vou levar algumas. Será que são caras?
Quem tinha nariz e pernas correu para o cano onde estava a moça.
[...] A moça vendeu, vendeu, vendeu. Mas as flores da cesta não acabavam. [...] Mas a própria vendedora não sabia explicar. Só quem sabia era a Pequena Bruxa, que fazia tempo já tinha se afastado com Abraxas. As casas da cidade iam ficando para trás. Logo estariam na plantação de trigo, onde haviam escondido a vassoura.
p.47-53.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Resenha do livro: O Tempo entre Costuras,
de María Dueñas

Título: O Tempo entre Costuras
Autor: María Dueñas
Editora: Planeta do Brasil
Edição: 1
Ano: 2010
Nº de páginas: 480

Sinopse: Poucos meses antes da guerra eclodir na Espanha, Sira troca sua pacata rotina em Madri pelo desconhecido Marrocos, seguindo uma avassaladora paixão. Ela e seu amado Ramiro, um aventureiro em busca de dinheiro, vivem momentos de romance, glamour e futilidade. Mas o sonho vivido por ela acaba quando, de uma hora para outra, é abandonada.Sira Quiroga é a encantadora costureira que protagoniza esta aventura. Um dia, Sira se apaixona loucamente e parte de Madri para o romântico Marrocos, meses antes da Guerra Civil Espanhola (1936-1939), para ter sua inocência triturada pelos caminhos da vida. Porém, se transforma uma vez mais para mergulhar, durante a Segunda Guerra Mundial, em um novo mundo, agora repleto de espiões, impostores e fugitivos.

domingo, 10 de janeiro de 2016

RESULTADO: Desafio Literário 2015

     Olá galera amada do meu coração!
     Voltei de férias há pouquinho e estou com a corda toda... O NMW vai ficar recheado de novidades!!! E não há nada melhor que descansar um pouco, inspirar-se e ser feliz, não é?!
     Mas então vamos lá! No ano passado, em fevereiro, o NMW foi indicado para o Desafio Literário 2015, confira mais detalhes AQUI. Ao longo do ano, fui cumprindo o desafio na medida do possível e hoje venho contar para vocês um pouco sobre os livros que li e como foi o desafio.
     Já ressalto que não consegui cumprir o desafio por completo, pois 2015 foi o ano mais agitado que tive em minha vida, contando com as matérias da faculdade, a bolsa de iniciação científica, os estudos autodidatas de línguas, a catequese, o trabalho com meu projeto de livro e mais 8 turmas de inglês (e esse ano, com TCC pela frente, só quero ver).
     E, mesmo com tudo isso, ainda consegui ler 24 livros (fora os livros de estudo e outros)! Basicamente a metade dos livros lidos em 2014. Mas o estudo só aumentou, então continua tudo na mesma balança. Mas, enfim, vamos lá!!

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Tempo de Férias: Inspire-se, curta, VIVA!

Férias...
Viajar, viver, aproveitar...
Ser feliz.
Tempo de relaxar, de curtir, de definir metas.
Descanse alguns segundos, de olhos fechados em um lugar bom.
Coloque um sorriso no rosto, encha seu coração de alegria. Pule, cante e dance, como se ninguém estivesse vendo. Ria como se não houvesse amanhã. Viva como se hoje fosse seu último dia.
Ouça sua música favorita. Presenteie alguém que você ama. Faça alguém se sentir especial.
Gaste uns bons dez minutos apenas contemplando o céu acima de você, olhando para as nuvens e contando os pássaros que voam pelo céu. Ouça os sons ao seu redor. Ande descalço. Sinta o vento em seu rosto. Curta a felicidade que há em estar vivo.
Não interessa se você está trabalhando, se está em uma praia, em uma casa de campo ou em sua casa, apenas aproveite o que a vida tem a lhe oferecer.
Ouça o som da água. Sinta-a correndo por entre os dedos de seus pés. Curta cada sensação, cada mínimo detalhe.
Suba em um lugar alto. Respire fundo.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Pegue Suas Pipocas: O Ajudante do Papai Noel

Título: O Ajudante do Papai Noel
Título Original: Santa's Little Helper
Duração: 1h31min
Dirigido por: Gil Junger
Atores Principais: Mike Mizanin, Annalyne McCord, Eric Keenleyside
Gênero: Família
Ano de lançamento: 2015

Sinopse: Depois de perder o emprego e a namorada dos seus sonhos, um jovem executivo recebe a visita do bom velhinho em pessoa lhe oferecendo uma vaga de ajudante. Porém, para conseguir o trabalho, ele terá de enfrentar uma série de desafios e inimigos - incluindo um elfo maldoso que quer tomar o seu lugar.
     Ainda estando em clima de Natal, trago uma dica de filme fantástica! Assisti na véspera do próprio Natal e tenho que confessar que me surpreendi. O filme foi lançado neste ano de 2015, então pode-se dizer que é bem recente, além de ser aquele filme ótimo para assistir em família.

terça-feira, 24 de novembro de 2015

#Fotografando: Amanhecer Gradativo

Hey pessoal!
     Hoje trago uma série de fotografias belíssimas aqui para o blog e arrisco dizer que este é o melhor post de fotografias que o NMW já apresentou por aqui, porque é simplesmente belíssimo.
    Que tal acompanhar um amanhecer gradativo, desde a escuridão até o raiar do sol (ou a chegada das nuvens de chuva)?
     Você vai amar.
     A história dessas fotografias também é muito curiosa. Digamos que, em boa parte dos meus dias, tenho que acordar bem cedo - especialmente nas terças e quartas, em que acordo às 6h da manhã. E digamos também que nem sempre é fácil acordar e que, muitas vezes, acordo com medo de ter perdido a hora. E, bem, estas fotos saíram em um dia que aconteceu justamente isso.
     Minha mãe de repente me chamou: "Lerissa, já acordou?". Eram seis da manhã, nem meu despertador havia tocado ainda, mas o susto que eu levei espantou para longe todo o meu sono. E, ao invés de acordar me arrastando, pulei de pé totalmente acordada.
     Mas a surpresa veio mesmo quando eu abri a janela. Me deparei com um lindo amanhecer e, ao vê-lo, imediatamente me pus a tirar fotos. Meu café da manhã foi tendo essa vista que distribuí em uma série de fotos, resultando nesse post. Venha conferir!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...